PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

domingo, 6 de dezembro de 2015

CE: DERRUBADA DE ÁRVORES HISTÓRICAS VIROU MODA

  SANTA QUITÉRIA REMOVE PLANTAS DECENÁRIAS DE PRAÇA PUBLICA
Foto: Narcélio Rodrigues
Uma realidade triste e desrespeitosa ao patrimônio natural e imaterial de muitas cidades virou moda no Ceará. 
Depois das Prefeituras de Alcântaras, Coreaú removerem árvores históricas durante as "reformas" em praças publicas foi a vez do Governo Municipal de Santa Quitéria, adotar esta prática que vai em desencontro com os princípios norteadores do desenvolvimento sustentável dos municípios do Estado a qual participam do Selo Verde. 
Em todas estas cidades, infelizmente os projetos de engenharia arquitetônicos elaborados e licitados para a revitalização de espaços públicos parecem considerar que para " dar cara nova" as praças é preciso derrubar indiscriminadamente espécies nativas e/ou adaptadas a região. 
Em Alcântaras, onde a Prefeitura Municipal desde 2011 tem removido castanholas para dar lugar ao Neem Indiano e Palmeiras Imperiais a reforma das praças perdeu o toque verde e de jardinagem típicos de cidades serranas. Em Coreaú, em reforma feita em um Praça no Distrito de Araquém o Governo Municipal removeu históricas tamarineiras, cena que se repete em Santa Quitéria, no Sertão Central. onde além do extrato arbóreo já atingido aos longos de anos, muitas plantas além de sombra oferecem abrigo e alimentação para muitos animais.
 Além do retrocesso administrativo que se nota frente a inércia das Secretarias Municipais de Meio Ambiente, a melhoria na infraestrutura dos referidos espaços nem sempre beneficia a população por priorizar equipamentos e modelos urbanísticos totalmente inadequados a realidade destas cidades como a incorporação de dezenas de postes e blocos de concretos, placas e outros materiais que em nada contribuem para a qualidade de vida e embelezamento das cidades.
Enquanto autoridades ambientais e legisladores destes municípios continuam de braços cruzados frente a esta realidade o apelo a preservação da vegetação típica do semiárido é feita nas redes sociais.

Post.Francisco Freire

Nenhum comentário: