PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

quarta-feira, 7 de junho de 2017

IBAMA EMBARGA OBRA NA SERRA DA MERUOCA

 EMPREENDIMENTO MILIONÁRIO ESTAVA SENDO ERGUIDO NA ÁREA DE APA
Obra estaria dentro de uma área de Proteção permanente ( Foto W. Macedo)
Na tarde da última terça-feira(06) equipes do IBAMA e do Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade embagaram uma obra milionária que estava sendo construída no topo da Serra da Meruoca e dentro de Área de Proteção Ambiental Federal

O condomínio de luxo projetado para ter uma teria casa de 512m², piscina olímpica e heliponto se daria em um área de difícil acesso no topo na Serra com extensão superior a 14 hectares e há uma altitude de 830 metros, precisamente na localidade de Santa Clara, no município de Meruoca e foi estimada em torno de R$ 5 milhões.

O embargo do empreendimento que teria como responsável a empresa Condomínio Terra Nova e Comunicações Ltda, gerou duas infrações que superam acasa R$ 6 milhões devido ser constatado crime ambiental dentro de área de proteção criada pela Lei Federal  nº 11.891 há cerca de 10 anos. Dias antes da fiscalização feitas pelos órgãos ambientais, o fotografo Wellington Macedo já havia usado as redes sociais para fazer um vídeo denuncia sobre o caso.

Dentre os sócios da empresa responsável pela obra, aparece o ex-ministro da educação e ex-governador do Ceará, Cid Gomes, que segundo o portal CNews confirmou ser um dos acionistas da construtora e informou por meio de sua assessoria que a obra em questão estaria regular e com alvará de licença de construção com número 004/2017 emitido pela Prefeitura de Meruoca.

Já a coordenadora do ICMBio, Karina Teixeira, explicou que a área foi vistoriada pela equipe de fiscalização constatando algumas infrações ambientais "Nessa obra, nessa intervenção, nós identificamos que é uma área de proteção permanente. Onde a lei que cria essa unidade de conservação diz que a parti de 800 metros, se tem uma zona de vida silvestre, onde é uma zona mais frágil, é onde a construção está a 830 metros"  

Ainda acordo com o ICMBIO duas multas foram lavradas sendo que a primeira se refere  a falta de autorização do órgão ambiental competente no valor de R$6.021.000 e uma segunda multa de R$ 121.000 por destruir a vegetação nativa da APP, ( Área de Proteção Permanente) cujo 'não pode' ser exploradas dentro de uma APA

Post.Francisco Freire

Nenhum comentário: