PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

CÂMARA JÁ GASTOU MAIS DE R$ 62 COM FOLHA DE PAGAMENTO

 SALÁRIO DOS VEREADORES CONCENTRA 96% DAS DESPESAS DA CASA
Imagem adaptada: Fonte TCM-CE
Passado os quase primeiros sessenta dias do ano, os gastos já feito pelo Poder Legislativo em Alcântaras assustam pelos valores até então gastos somente com folha de pagamento. 

De acordo com o Portal da Transparência dos Municípios do Ceará, de 1ª de janeiro até o último dia 21/02 foram desembolsados pelo município o equivalente a 67(sessenta e sete) salários mínimos somente com vencimentos e vantagens fixas - pessoal civil que trabalham na Câmara Municipal. Em valores diários, os gastos somente com salários  dos servidores contratados e/ou eletivos chegam a R$ 1.207/dia, uma realidade que contrasta com o cenário de crise que o país enfrenta.

Na mesma cidade, o ganho médio de um servidor comum com jornada de oito horas diárias fica em torno dos R$ 31/dia, enquanto o de um vereador que frequenta em média duas sessões por mês custa R$ 177,10 aos cofres públicos. Em meio a este comparativo no inicio do segundo semestre do ano passado, um movimento que pretendia questionar o reajuste aprovado pelos Edis para a legislatura que vai de 2017 a 2020, começou a ser articulado, porém perdeu força após o resultado das eleições em outubro passado, quando cinco dos nove vereadores foram reeleitos, a maioria pela bancada situacionista. 

Em outros municípios do Ceará, onde também houve insatisfação por parte dos moradores quanto ao reajuste para prefeito e vereadores aprovados nas câmaras, meses depois ações movidas pelo Ministério Publico requereram a  suspensão dos efeitos das leis, como aconteceu em Juazeiro do Norte, Iguatú e Farias Brito. No município serrano, onde o reajuste para o cargo de vereador teve um aumento de cerca de 57% na relação 2016/2017, um legislador que ganhava em média três mil reais por mês, passou a receber no mínimo R$: 5.210,00 e os gastos por mês somente com estes servidores saltou da casa dos R$ 23 mil para mais de R$ 48 mil.

Post.Francisco Freire

Nenhum comentário: