PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

sábado, 29 de outubro de 2016

NO SETOR PÚBLICO: CORTE DE PONTO SERÁ PERMITIDO DURANTE GREVE

DECISÃO DO STF FOI ANUNCIADA NO DIA DO SERVIDOR PUBLICO
Greve de servidores em Alcântaras no ano de 2016
Sindicatos e instituições representativas dos trabalhadores do setor público deverão enfrentar problemas quando propuserem a paralisação de servidores por tempo indeterminado durante a deliberação por greve.
Na data em que foi aludido o Dia do Servidor Publico uma decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou que o poder publico corte o ponto de grevistas. A setença tomada na última quinta-feira,27/10, permite que o poder público possa cortar os salários de servidores em greve e obriga ainda que todos os tribunais do País adotem o entendimento da corte sobre o assunto. 

Para o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Alcântaras a medida seria um"golpe" à classe trabalhadora que sustenta o país. Ainda para o SINDICAN tanto as questões salariais como as estruturas de trabalho tem sido melhoradas devido os movimentos de greve.
Nenhum servidor ou trabalhador faz greve por diversão ou para aparecer. A greve é um trabalho muito mais difícil do que o próprio trabalho em si. No Brasil foram os movimentos grevistas que fizeram surgir o piso salarial do magistério nos estados e municípios. Em nossa região, por exemplo, a realização de concursos públicos e o restaurante universitário na UVA são frutos das greves  e cortar o ponto do trabalhador em greve se efetivará mais um instrumento inibidor de greve e assim a classe trabalhadora poderá mergulhar numa situação mais precária de trabalho e sobrevivência", evidenciou Charlys Menezes em entrevista ao Portal Jovem

A decisão foi aprovada por 6 votos a 4, onde os ministros Toffoli Luis Roberto Barroso, Gilmar Mendes, Teori Zavascki, Luis Fux e a presidente do STF, Cármem Lúcia foram favoráveis a decisão que tem repercutido nas redes sociais. Em nota a Central Única dos Trabalhadores (CUT) disse que o STF jogou contra democracia e relações de trabalho no Brasil.

Post.Francisco Freire

Nenhum comentário: