PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

domingo, 22 de maio de 2016

POLÊMICA EM MERUOCA

 VEREADOR DENUNCIA  MORTE DE BEBÊ PREMATURO POR 'NEGLIGÊNCIA 'MÉDICA
Carlos José do Pimenta ( Foto reprodução)
Um fato envolvendo a saúde pública no município de Meruoca, Zona Norte do Ceará, virou polêmica na web após um dos vereadores da cidade denunciar a morte de uma criança prematura que haveria vindo a óbito por negligência médica". 
O caso ora denunciado na última Quinta-Feira (19) pelo Vereador  José Carlos do Pimenta, gerou indignação na pequena cidade serrana, depois que o Edis  afirmou durante seu uso na tribuna que um recém nascido, de apenas 06 meses, haveria sido dado como morto e 'jogado' na pedra do nicrotério do Hospital Chagas Barreto ainda com vida. Segundo José Carlos que cobrou posicionamento das autoridades públicas de Meruoca, os pais do bebê não teriam recebido quaisquer assistência por parte daquela municipalidade que fez vista grossa ao caso.

Em sua fala, durante sessão itinerante realizada no Distrito de Anil, o legislador disse: “Acho um absurdo o valor que tem a vida nessa gestão de Meruoca. Uma polêmica por causa de uma festa no estádio municipal, o prefeito emitiu uma nota dando explicação pelo cancelamento da festa. Mais esse caso que afeta toda uma família, que uma criancinha morre, até o presente momento não houve manifestação de ninguém. Nem prefeito, nem secretária de Saúde e muito menos o Procurador da prefeitura de Meruoca, como se não tivesse acontecido absolutamente nada.
Procuramos a família, juntamente com a vereadora Ana Carina, para vermos como está a situação, mais pasmem os senhores, até o momento nenhum assistente social, psicólogo ou outro profissional da saúde, não apareceram para dar qualquer apoio. Peço a presidente Carla Mara, que coloque a disposição da família a Assessoria Jurídica da Câmara, porque esse caso de negligência médica não pode ficar impune”, evidenciou Carlos.

Entenda a noticia:
Um casal que reside na localidade de Gameleira-Anil, em Meruoca, dirigiu-se ao Hospital daquela cidade no inicio da madrugada do último dia 18 de maio, quando uma gestante( com seis meses) haveria entrado em trabalho de parto. O Pai da criança haveria pedido uma amigo uma moto para solicitar uma ambulância para que fosse transportado a esposa até o hospital. Chegando a unidade de saúde, na madrugada do dia 18 de maio, a grávida haveria sido recebida por uma equipe médica coordenada pelo Dr. Vicente que constatar a morte da criança haveria assinado e liberado o atestado de óbito solicitando a transferência do corpo para a pedra fria do nicrotério do Hospital Municipal Chagas Barreto e o envio da mãe da criança para outro hospital em Sobral. Já na Quarta-Feira, quando outra equipe médica chegou ao hospital e foi  informada que haveria um corpo de uma criança de seis meses ('morta) ali, ao chegarem ao nicrotério verificou-se que o bebê estaria vivo contradizendo o diagnóstico emitido pelo médico anterior. Por trata-se de um recém nascido, a criança foi socorrida imediatamente para o Hospital Regional de Sobral, não resistindo e vindo de fato a falecer.

Na mesma região, casos semelhantes envolvendo a morte de uma criança de seis anos  e de uma gestante residente no Sitio Penha apesar de graves nunca chegaram a ser esclarecidos pelas autoridades competentes.

Post.Francisco Freire


Nenhum comentário: